quinta-feira, 31 de março de 2011

HOMENAGEM AO GRANDE POETA EDNIR MAIS: 21 ANOS DE SAUDADE

“Não sei para onde vou, Nem de onde você vem, Mas tenho certeza de que qualquer dia desses nós nos encontraremos num baile com a Banda Styllus”.(Ednir Maia).
Essa frase pertencia ao compositor Ednir Maia, e era presente em todos os encartes de uma banda que já foi considerada uma das melhores do país, a Banda Styllus. O site Portal Forrozão pesquisou a vida do compositor de fundador da banda Styllus, que faleceu precocemente em um acidente, em 1992, deixando duas heranças para sua família, suas composições e a banda Styllus. Ednir é autor de grandes sucessos gravados pela banda Styllus e outros grandes nomes, como Mastruz com Leite. Conheça agora a história desse eterno artista: Numa família de sete filhos, todos Josés, nasceu José Edinir Maia (Codinome Ednir) no dia 12 de junho de 1964 na comunidade de Sítio do Rocha, cidade de Tabuleiro do Norte no Ceará. Em 1977 mudou-se para a cidade vizinha, Limoeiro do Norte. Aos 15 anos foi morar em São Paulo. Ao ver uma banda de música tocando numa Praça em São Paulo, aflorou nele o dom que Deus lhe havia dado, foi o suficiente para ter certeza que o mundo artístico da música estava na veia, no sangue. Ficou encantado com o som que ouviu, e em novembro de 1980, já com 16 anos, retomou a cidade de Limoeiro do Norte para ingressar na Escola de Música Maestro José Robles.

Passou a fazer parte da banda de música da cidade tocando sax-barítono, tornou-se um músico polivalente, tocando inclusive violão. Ednir era uma pessoa pacata, tranqüila, religiosa, serena e amada por todos que o cercava. Quando ia compor, deítava-se na sua rede, pegava seu violão e passava noites em claro compondo.Ednir via música em tudo, certo dia, depois de ceiar com a família, pegou o próprio copo e os outros seis de seus irmãos, os encheu de água em quantidades diferentes e começou a tocar suas músicas batendo nos copos que davam o som das notas musicais. Ednír pouco se importava com valores materiais, sua felicidade era estar com os pais, os irmãos e os amigos, cantando e tocando. O poeta, cantor e compositor, Ednir, tinha o sonho de montar uma banda. Junto com seu irmão José Nilson, montou a Banda Ação Musical que não teve muito êxito. Seu trabalho e sua fé em Deus eram grandes, o mesmo tinha uma frase que dizia: "Acredite nos sonhos como na sua própria vida". Com seu talento para compor, cantar e tocar passou a ser convidado a animar aniversários, batizados, festas em colégio e outros eventos artísticos da cidade. Em 1985 recebeu a medalha de cantor revelação. Em 1988 no Clube BNB recebeu a medalha de artista do ano. Certo dia falou para sua mãe que um dia, todos iriam ouvir falar da Banda Styllus 7. Surpresa a mãe perguntou: "Porquê Styllus 7?". Ele respondeu: "Porque somos 7 irmãos, 7 Josés e 7 são as notas musicais", e ali surgia o nome do grupo 'Banda Styllus 7'. O sonho do poeta Ednir Maia se concretizou em 02 de julho de 1989, data em que foi fundada a "Banda Styllus 7", que levou esse nome até o ano 1991, quando a banda gravou seu primeiro LP "MISTURA" intitulado Ednír e a Banda Styllus (sem o sete) que permanece até hoje. O segundo LP foi gravado em janeiro de 1992, porém dias após a gravação, no dia 23 de março, o criador da banda, o poeta e cantor Ednir Maia faleceu em um acidente na BR-116 quando pilotava sua moto. Ednir se tornou um marco na música regional cearense, e até hoje recebe homenagens por suas composições. O Salão de Dança do BNB Clube de Limoeiro do Norte recebeu o nome do poeta, mas, sua homenagem maior é com certeza a BANDA STYLLUS, seu sonho vivo. José Edinir Maia (*1964/†1992)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário